Destaque, Geral

O CAVALO DE TRÓIA SINDICAL!

cavalo-de-troia-promocao-copia1)“O Cavalo de Troia foi um grande cavalo de madeira construído pelos gregos durante a Guerra de Troia, como um estratagema decisivo para a conquista da cidade fortificada de Troia. Tomado pelos troianos como um símbolo de sua vitória, foi carregado para dentro das muralhas, sem saberem que em seu interior se ocultava o inimigo. À noite, guerreiros saem do cavalo, dominam as sentinelas e possibilitam a entrada do exército grego, levando a cidade à ruína.”  Fonte: Wikipédia

b)“Um cavalo de Troia (em inglês Trojan horse) é um malware (programa malicioso) que age tal como na história do Cavalo de Troia, entrando no computador e criando uma porta para uma possível invasão; e é fácil de ser enviado, clicando na ID do computador e enviando para qualquer outro computador.” Significados.com.br

2)“Quinta coluna” (Guerra Civil Espanhola 1936 – 1939) – é uma expressão considerada sinônimo de traição, caracterizada pela reunião de um grupo de pessoas que atuam clandestinamente com a intenção de trair os seus companheiros, a sua pátria ou sua organização.” Significados.com.br

As versões anteriores é o retrato da burla de pessoas de boa índole por meio de logro, ação camuflada, furtiva, em que se esconde o verdadeiro objetivo, que poderia ser muito bem  a consecução de lucro, vantagens pessoais, tal qual sói acontecer entre a classe fiscal tocantinense e a malfadada representação sindical atual que a diz representar, assim como o famoso cavalo de pau, prenhe, pejado e empanzinado, de perfídia, traição e deslealdade para com os da categoria.

A analogia pertinente.

Explica-se: Enquanto o sindicato da categoria fiscal  tem como padrão de conduta a inércia, o comodismo, a segregação e perseguição de membros da categoria, quando agem, o fazem somente, e tão somente, com o declarado objetivo de prejudicar algo ou alguém, senão, em proveito próprio,   como  recentemente no inacreditável episodio da ação das progressões da categoria, com cinismo e desplante, ingressando em juízo para inviabilizar uma ação da associação classista  em defesa do Progressão salarial  da Categoria já em curso (A ASFETO emitiu uma nota de repúdio e irá fazer uma matéria com a relação dos 20 Auditores prejudicados).

A impunidade pelos seus atos escusos os tem feito, cada vez mais arrogantes  e audaciosos!

A lamentável e horrível legislação sindical brasileira, que pasmem,  é originária da Carta Del Lavoro de Benito Mussoline de 1927,  fascista italiano, elaborada com objetivo de manipular os trabalhadores através de falsa liderança, foi posteriormente copiada na sua integralidade e implantada no Brasil por Getúlio Vargas em  1943 através da Consolidação das Leis do Trabalho, infelizmente para os trabalhadores, com vigência até hoje em nossa pátria, clama por urgentíssima reformulação, adequação e atualização.

Esse foi o meio na época encontrado pelos patrões e governo em submeter,  manipular em seus favorecimentos,  a classe trabalhadora, através de falsa, claudicante  e extemporânea “representação”!  Dessa maneira,  o que seria e deveria ser provisório (mandato eletivo sindical) tornou-se definitivo, profissão de fato, com o custo financeiro elevadíssimo  e não menor custo social da classe laboral, transformando  por esse expediente espúrio,  os trabalhadores a escravos duas vezes, eis que, além dos patrões, agora também (não só no fisco) subservientes a pelegos e reféns do que há de pior,  em seu meio: embusteiros,  piratas, rapineiros classistas, que além de não cumprirem  suas obrigações, impedem que outros o façam!

Notáveis e honrosas exceções existem, evidentemente!

A DIALÉTICA CLASSISTA: Dentro do sistema nasce sua contradição.

Manietados, subjugados e garroteados por uma legislação cerceadora, com eleições sindicais e assembleias fraudulentas e simuladas, garantem o continuísmo  ad aeternum  dessa trupe, malta,  nas entidade sindicais  que nos casos raros que precisam ou necessitam sair,  as deixam como herança para os amigos e apaniguados para que as contas sindicatos não sofram devassa com o objetivo de se  confirmar onde foi parar o dinheiro social arrecadado.

Virou negócio extremamente lucrativo o que deveria ser de utilidade classista,  e quando ameaçado por denuncia,   acionam o “departamento” jurídico da entidade pago pelos próprios trabalhadores para  punir e “dar exemplo” aos discordante, pelourinho jurídico, pois essa trupe sindical  é extremamente sensível quando ameaçada em seus privilégios regalias.

Os trabalhadores fragilizados, insurgentes dessa odiosa situação, só podem socorrer-se do judiciário, essa última trincheira, para se minimizar os efeitos dessa lamentável situação.

Derivada desse fato, criou-se a casta dos “super trabalhadores” que ocupam hoje o antigo lugar dos feitores e capitães-do-mato, muitas vezes usando a própria política partidária, a a nomeação de torpedos em cargos chaves, legislação interna dispositivos de carreira dentro dos órgãos públicos, ainda,  usando alguns  governantes  em alcançarem seus intentos e objetivo …. não direitos classistas, evidentemente! 

Vem daí, a carreira politico-partidária que tentam (com o dinheiro da categoria), apostando no desconhecimento de causa de seus candidatos (quando não eles próprios) e intenção de instrumentalizá-los, em suas causas pessoais, se eleitos!

Enquanto isso, dentro de muitas que poderiam ser a fortaleza e bunker dos trabalhadores – as suas entidades sindicais – pululam malfeitores na função que deveria ser representativa, lobos travestidos de coelhos!

2 Opiniões

  1. Carlos Freire

    A dialética classista: Dentro do sistema nasce sua contradição.

    Perfeito , podemos notar claramente dia 17 sexta feira terá uma Assembléia ou melhor 2 Assembléia, porque não uma única Assembléia, por qual motivo?

    Gente, posso estar errado, mas pra que uma sede administrativa daquela natureza que nos custou o olho da cara?

  2. Antônio Geraldo

    Quero parabenizar o autor desta matéria ,pois relata com riqueza de detalhes todo o processo histórico sindical no país ,desde a sua origem ate os dias de hoje.Infelizmente é isso mesmo,é essa tragedia que vemos,uma espécie de fogo amigo,mas não é amigo,sim se diz amigo, mas age-se sob proteção das sombras com tenebrosas transações (parafraseando estas duas últimas palavras da música de Chico Buarque de Holanda: Vai passar),apenas transparecendo ser amigo,dizendo agir beneficamente pelos seus filiados ,quando na verdade fazem o contrário,o que chega a ser um crime,à medida que é intencional.Vendem,anunciam sonhos,para fornecer migalhas,e barganhar as suas causas por coisas de interesse pessoal de um pequeno grupo que estrategicamente comanda este tipo de entidade.Salvo raríssimas exceções, o restante são apenas trampolins e moedas, políticos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *