Destaque, Geral

A HERANÇA MALDITA DA ENGANAÇÃO E PERSEGUIÇÃO

HERANCAA ASFETO sempre se posicionou contra  desmandos, malversação verba sindical, gastos absurdos com obra faraônica em épocas de crise financeira, perdas de direitos como segunda ação de horas extras, honorários milionários que atrasou andamento do processo da primeira ação de horas extras, leniência e omissão no direito ao retroativo do adiciona noturno, URV (ação que não está obtendo êxito devido a prescrição), dentre outros.

Ao longo do mandato atual, dando continuidade a gestão passada diretoria da Associação se portou de modo que pudéssemos encontrar uma saída para soluções que afligem toda a categoria fiscal, defendendo e ajuizando ações (várias delas com êxito) como as progressões, REDAF, etc. Além disso, no cenário de omissões temos a famigerada e preocupante ADI 4214.

Com isso, são tantas as demandas que por omissão, inércia e projetos políticos partidários e pessoais, denunciado exaustivamente em nosso site,  colocou a categoria numa situação muito difícil e com dificuldades para que a Associação trabalhe na defesa de todas, devido imensa irresponsabilidades da entidade sindical e acumulo de direitos não reivindicados. Mas continuaremos na linha de frente e de enfrentamento destas questões, custe o que custar, afinal, a motivação da criação da nossa entidade.

A ASFETO sempre defendeu a escala de serviço e condições de trabalho do fisco tocantinense, na vanguarda, providenciou documentários, laudos caracterizando insalubridade e periculosidade  nos postos fiscais, requerimentos administrativos, no momento aguarda decisão judicial em processo que está concluso para julgamento.

Cabe esclarecer para toda categoria fiscal que na assembleia do Sindicato no dia 23 de março em que  a categoria deliberou pela suspensão de paralisação das atividades e mobilização já deliberada em assembleia anterior, com base em  colocações para votação disponibilizadas pela Diretoria do sindicato, as informações recebidas pela ASFETO, segundo Diretoria da Receita, não houve nenhum compromisso oficial com Secretário da Fazenda em reunião do sindicato dia 21 de março  (podendo qualquer um buscar veracidade na SEFAZ), por isso, todas as mudanças anunciadas pela SEFAZ desde o inicio da gestão foram concretizadas logo em seguida,  como criação de agencias avançadas, cargo de chefe de agência avançada, mudanças na escala, lotação, etc., o que culminou em afastamento e posicionamento público amplamente divulgado pela Associação contra determinadas decisões. Ficou evidente que  Sindicato utilizou se de instrumentalização por ter percebido que não tem condições de diálogo e nem de providências alguma, responsabilizou a categoria pelo enfraquecimento da mobilização, transferindo obrigação de responder pelas próprias ações da classe, ausente de representação sindical há décadas.

Como se não bastasse tamanha incompetência e irresponsabilidades, quer imputar a ASFETO culpa de sua leniência e inoperância divulgando em redes sociais responsabilidades de sua negligência, imperícia e omissão.

Ainda, na sanha incansável de perseguição, covardemente, como sói ser, seu próprio modus operandi, impetraram Mandado de Segurança contra colega de sua própria categoria que detém função de confiança na Secretaria da Fazenda, Gerente de Trânsito, Fernando Henrique Tomé Naves com objetivo de imputá-lo culpa, indicando o como autoridade coatora no processo com provas fraudulentas em Ofício encaminhado em conluio com sindicato, documento este confeccionado por um Delegado de Fiscalização da região norte do Estado. Conforme fomos informados pelo colega prejudicado neste citado mandado de segurança está sendo encaminhado para apurar as condutas e responsabilidades funcionais por descumprimento de normas superiores e desrespeito a outros deveres e vedações previsto na Lei 1818/2007, uma vez que o Delegado que elaborou o Ofício contra o Gerente de Trânsito da Secretária da Fazenda, detém função de confiança, sendo assim, foi insubordinado e desleal com a instituição em que deveria na função defende-la, infringindo os deveres e proibições prevista no Estatuto,    sem prejuízo de ação por danos morais cabíveis ao Gerente de Trânsito,   afetados neste ato. Ademais, bom frisar que o Gerente de Trânsito foi extremamente contra a mudança de escala, defendendo modelo anterior, mas que devido a edição da Portaria Sefaz nº 488, de 29 de março de 2019, editada pelo Secretário da Fazenda, tem obrigação funcional de cumpri-la, não só como servidor público mas também por estar a frente de uma função de confiança de gestão na Secretária da Fazenda, assim como todos Auditores são obrigados ao cumprimento do novo modelo de escalas.

Como já é de conhecimentos de todos, a Asfeto não curvará ou se submeterá a mais uma (dentre tantas) impropriedades absurdas, ilógicas e paradoxal do sindicato e estaremos de prontidão como sempre, lutando  para defender os direitos adquiridos, reestabelecer a verdade, as garantias individuais e coletivas trabalhistas, condições de trabalho, progressões, teto, REDAF e demais demandas da categoria fiscal em qualquer instância ou órgãos da justiça, destemidamente, sempre no intuito de defender seus filiados e a classe fiscal, não se furtará dessa missão diante momento crítico em que sofre a categoria, com mudanças no regime de escalas e falta de condições de trabalho.

7 Opiniões

  1. ANTONIO GERALDO

    Quanto a ASFETO, está sempre na vanguarda da detecção dos direitos inerentes ao nosso trabalho, detectando, buscando reconhecimento, e se preciso, ajuizando para isto, a exemplo do retroativo do adicional noturno, direito alertado precocemente pela ASFETO, e cujo retroativo não pago também antecipadamente ,até mesmo de conhecimento do direito pela grande maioria dos colegas, a referida entidade alardou, buscou formalizar conceito, desenvolveu o escopo jurídico e a tempo ajuizou belo trabalho,que vinga agora dando frutos. Parabéns.

  2. ANTONIO GERALDO

    Culpar Fernando agora é fácil,mas injusto e indevido,como disse Freire,Alvorada experimentou esta escala tão benéfica aos colegas, exatamente depois da gestão dele no trânsito,SEFAZ-TO,coisa até então negada ou ignorada pelos antecessores.

  3. Pé de mandacaru não produz uvas! Não há como esperar que com seu histórico de safadezas, sandices, instrumentalizações e maldades essa entidade maligna pudesse fazer algo de proveitoso ou útil para a categoria! Sempre que participar de algo em qualquer nível, se olharmos atentamente, se pegarmos uma lupa, haveremos perceber, no fundo, um golpe, tramoia ou picaretagem….!
    É de sua natureza e índole laborar incansavelmente contra as vitimas pseudo-representadas, perseguir, enganar, trapacear, tapear e saquear, verbos que conjugam admiravelmente! É como asseverou o honrado Pierre, ainda, acrescento, os apaniguados, descarados traidores classistas, são os verdadeiros cânceres da categoria, inescrupulosos vendilhões do suor de outros, vendem suas almas e mães por uns carguinhos cujos filhos poderão ter no futuro subida vergonha ao descobrirem que foram alimentados com o pão da indignidade!
    Nunca deixaremos de reafirmar, que esses tempos que vivemos são diversos de antigamente, mas existem valores universais, perenes e indeléveis, que atravessam o tempo e espaço pela eternidade, valorizam, glorificam, distinguem os verdadeiros homens de bem, quais sejam, antes de todos, a honestidade, e na sequencia, correção, lealdade, veracidade! Só seremos homens verdadeiros e dignos dessa nomeação, se os incorporarmos e assumirmos, seguindo esses valores edificantes, humanos, no sentido stricto da palavra!

  4. Isaque Cairo

    “Não é suficiente eu ter sucesso, todos os outros devem falhar”

    Essa frase acima , atribuída por historiadores a Genghis Khan , àquele que conquistou a China e mais da metade do mundo conhecido, oriundo da tribal sociedade mongol do século XIII, me faz lembrar do que passamos hoje no fisco.

    Só que escrita diferentemente, dada a diferença abissal existente entre os personagens, aqui seria escrito…

    Não é suficiente que EU fracasse, todos os outros devem falhar…

    Vivemos uma doença , uma fatalidade, chamada ausência absoluta de representação por quem deveria fazê-lo e nesse vácuo , nasceu a ASFETO, para garantir aquilo que não conseguíamos via sindicato de classe, sabe lá Deus , com sua onisciência , os motivos.

    Como o sindicato não apresenta nada efetivo, palpável e sobretudo, confiável, não basta que fracasse sozinho, necessário se faz arrastar também quem busca fazê-lo, sejam entidades ou pessoas.

    Resta claro que nessa història, bem ilustrada no texto acima, alguém faltou com a verdade ou mudou-se as versões na melhor das hipóteses. Pelo histórico, também bem delineado acima, podemos inferir a veracidade dos fatos.

    Triste cenário. Tristes acontecimentos. E os velhos e carcomidos estratagemas do inimigo interno a justificar o silêncio e os segredos do nada fazer.

    AVANTE ASFETO !!!

  5. Carlos Freire

    Asfeto não furtará em nos ajudar, como é de costume, com várias demandas, progressões, adicional noturno…eu mesmo consegui minha progressão tempos atrás conquistada pela nossa querida Asfeto!
    Tenho a receber, 82.000,00, referente ao adicional noturno trabalhado, ação essa protocolizada pela Asfeto!
    Fernando Henrique, sempre defendeu plantão único e Alvorada é testemunha ocular, pois se não fosse o Fernando,na época, nos não teríamos nem o gostinho de conhecermos o que foi uma escala de serviço com um plantão apenas, então Fernando Henrique, o nosso muito obrigado por isso também!

  6. Claudio murilo

    Como sempre jogo sujo, em grupos tem sim nomes ligados a eles que no minimo propiciariam o momento de palpitar para que se mudasse rapido, tentando colocar o secretario como mentiroso, e depois o gerente de fiscalização, mais bem sabemos que são eles e suas artimanhas os verdadeiros culpados.

  7. Robispierre Xavier

    “Pau torto, até a cinza e torta”. Nada muda nesse contexto.
    Nunca é demais frisar, relembrar, que o modus operandi dessa turminha continua o mesmo.
    Do alto da incompetência, da omissão, do peleguismo sujo, da promiscuidade que submetem o sindicato, a mania péssima é sempre achar um culpado, e, no caso, como sempre, é apontar o dedo para a ASFETO. “Temos que ter cuidado com os nossos inimigos, os inimigos da categoria”.
    Discurso ensaiado há quase uma década, entoado pelos seus e apaniguados, nos 4 cantos do Estado. Eis que o discurso está de volta, categoricamente, justamente em ano de eleição sindical.
    A molecagem, o jogo sujo, rasteiro, está de volta! Deixemos a boiada seguir o aboio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *